Garantindo a margem


Comportamento estratégico para gerenciamento de riscos

A economia moderna impôs ao agricultor o desafio de gerir uma das áreas empresariais mais complexas da atualidade: o agronegócio. O dia a dia desse tipo de empreendimento envolve riscos em proporções maiores do que as impostas a outros ramos de negócios. Os riscos climáticos, fitossanitários, flutuações nos preços das commodities, fatores políticos, protecionismos internacionais, complexidade no ciclo de caixa, além do custo do dinheiro e dos investimentos necessários para sustentar a atividade são variáveis a serem gerenciadas pelo empreendedor do campo.

O gerenciamento de custos virou tarefa tão necessária no meio rural quanto conhecer a terra e a tecnologia de produção. Essa é a base da boa gestão: a coleta precisa de todas as informações financeiras que envolvem a propriedade. De posse desses dados é preciso saber utilizá-los para obter resultados.

Tendo o custo “real” de produção na “ponta do lápis”, incluem-se aqui custos fixos e variáveis, depreciações, custo de oportunidade, custos financeiros de capital, enfim, a representatividade total das obrigações assumidas para a manutenção da produção, o gestor precisa determinar a sua expectativa de retorno em sua atividade. Qual a margem de lucro esperada? A resposta a essa pergunta é crucial para o sucesso do empreendimento, pois como diria o sábio, “quem não sabe aonde quer ir, não chegará a lugar algum”. A comercialização se torna mais difícil quando não se tem de maneira clara o seu custo de produção e a fixação da margem de retorno esperada.

Nos últimos anos a média do preço em dólar pago ao produtor apresentou uma forte mudança nos patamares de preço, resultado da crise internacional que freou o “boom” das commodities e afetou a economia dos países emergentes. Com margens reduzidas, o risco de comprometimento do resultado com movimentos especulativos se torna mais latentes.

É importante que, de posse do custo de produção e com a margem de lucratividade fixada, se estabeleça o preço e o volume mínimo a ser vendido, e a partir daí, faça vendas escalonadas, tendo como ponto de partida os momentos em que o mercado ultrapassar o nível do preço mínimo estabelecido. Esses podem ser os primeiros passos para a criação de um comportamento estratégico e de gestão de risco no meio rural.

Para maximizar os resultados, os produtores podem utilizar de modo mais efetivo ferramentas de negociação como as oferecidas pelos mercados de futuros e derivativos, a exemplo das opções, as quais já são amplamente utilizadas pelos norte-americanos e argentinos. A utilização de ferramentas para composição e gestão dos preços, leitura clara de todos os componentes, aumentando o poder de barganha nas negociações, também são alternativas eficazes para a garantia do resultado.

Da mesma forma que novas tecnologias de produção foram buscadas pelos produtores brasileiros, o que tem colocado a agricultura do país nas vitrines mundiais, a busca por tecnologias de gestão determinará a manutenção e o sucesso dos empreendedores rurais. Os gestores do campo precisam se garantir contra acidentes de percurso em um mercado sujeito a pedras no caminho, ou seja, é necessário GARANTIR A MARGEM .